O Menino e o Céu

Crônica da vida real. Você pode estar nela!

O garoto se deitava todas as manhãs com as costas no chão e barriga pra cima. Tinha como principal objetivo catalogar o maior número possível de desenhos que as nuvens formavam perante seus olhos. Às vezes via um pássaro, às vezes um anjo, e por vezes a feição da sua avó materna. Assim seguia esse ritual dia após dia — como um ritual católico. Fazia daquele momento um culto à criatividade; catalogando desenhos, imaginando o que seria quando adulto, e sonhando com a hora que sua mãe o chamaria para almoçar — até porque ser artista dá fome.

Pois bem. O menino cresceu, fez faculdade, se tornou economista, casou, teve três filhos e trabalha 60 horas semanais. O menino não perde mais tempo olhando o céu.

Paulo Sales ©


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.