Ciúmes

Páginas, Vade Mecum e cadeados.

Hoje olhei novamente para minha estante. Olhei os livros perseguindo meus olhos — como aquele amigo que perdemos contacto, tangendo nosso encontro em um shopping qualquer. Eles, que ficavam sentados esperando minha visita; eles que resmungavam a cada novo amigo feito. E trocado.

O chimarrão à simbolizar o luxo de nosso encontro a luz de velas; o frio à pairar em minhas mãos, que o esquentavam a cada vento que ameasse sua delicadeza.

Levou a chama da cuia, espargiu frieza na cera.

Então tivemos aquela clássica troca d'olhares, aquelas pernas que já faziam chave sem nem terem trocado um cadeado juntas; aquelas páginas em branco acostumadas com parágrafos antigos. A poesia virou lei, as estrofes viraram cláusulas, Quintana virou jurista, O Uivo virou Vade Mecum— e eu, meu deus, virei réu.

Comprei um novo de Joyce.

E trocado. E troquei.